sábado, 6 de agosto de 2022

Frases #0323

 


                           Não se Apegue ao que te apaga.

                                                                      Anônimo

Frases #0322


Ou Você muda 
ou 
Tudo se repete. 

Anônimo 

 

Frases #0321

 


O Primeiro passo
Não te leva aonde
você quer ir, mas
te tira de onde 
você está. 

Anônimo


sexta-feira, 5 de agosto de 2022

Frases #0320


Janelão Aberto
E você aí batendo 
numa porta que nem 
te comporta!

Anônimo 

 

E Se Foi o último grande pensador brasileiro, Morre Jô Soares aos 84 anos em São Paulo

            São 6:42 da manhã do dia 05 de agosto de 2022, e nessa madrugada por volta das 5 da manhã Jó Soares morreu no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo onde estava internado, a causa da morte ainda não foi divulgada,  uma das mentes mais brilhantes do Brasil, ( José Eugênio Soares ) Jó Soares tinha o nome de gênio até na escrita do nome para não deixar dúvida. 


Referência para esse jornalista ( Tiago Abrantes de Oliveira ) Jô Soares nasceu em 1 de janeiro de 1938 no Rio de Janeiro, Filho único do empresário paraibano Orlando Heitor Soares e da dona de casa Mercedes Pereira Leal passou a sua adolescência na suíça, o mesmo em uma entrevista ao fantástico em 2012 mencionou que sempre quis chamar a atenção pela personalidade para assim ofuscar o seu físico, ainda nos anos 60 o comediante, dramaturgo, ator e instrumentista fez imenso sucesso com a Família trapo e no Viva o Gordo pela Globo em 1981, sempre com destaque até ir para o SBT no fim da década de 80 onde trouxe o modelo talk show para o Brasil levando o mesmo formato para a Globo em 2000 e permanecendo até 16 de dezembro de 2016 onde foi ao ar o último "Programa do Jô"

Hoje se foi para minha pessoa o último grande pensador do Brasil, agora é esperar que surja outro(s).



Frases #0319

 



A prisão está na mente, O que te prende é o medo e o orgulho, 
esses são os 2 maiores muros entre você e a felicidade.

Tiago Abrantes

quinta-feira, 4 de agosto de 2022

Lp Severina E Sua Gente – É Hoje O Forró –1979

 

Artista: Severina
Gravadora: Cartaz
Ano: 1979
Estilo: Forró 



Faixa 01 Um Dentro E Outro Fora


Faixa 02 Puxa O Fole Sanfoneiro


Faixa 03 Dona Chiquinha


Faixa 04 Pé Na Estrada


Faixa 05 Vou Botar Pra Quebrar


Faixa 06 Assum Preto


Faixa 07 Saudades Do Meu Amor


Faixa 08 Tá Me Chamando


Faixa 09 Sanfoneiro Preguiçoso


Faixa 10 Coração Amoroso


Faixa 11 Saudades Dele


Faixa 12 Co-ro-co-tum



Lp Bau do Oito baixos – Festa nordestina – 1979

 

Artista: Bau do Oito baixos
Gravadora: Itamaraty
Ano: 1979
Estilo: Forró 

      (Sebastiao Morais) que ficou conhecido popularmente como Bau dos 8 baixos nascido em 13 de junho do ano de 1939 em Caruaru estado de Pernambuco. Bau dos 8 baixos Começou a se interessar pela sanfona por volta de 1960, aos 18 anos de idade, ganhando uma
sanfona de oito baixos do pai como presente de casamento, nascia ali Bau dos 8 baixos iniciando assim a carreira tocando em bailes e festas e bailes do interior pernambucano. Em 1975, lançou o LP "Ai que saudade da mulesta",
seu primeiro disco cuja música título foi também interpretada por Abdias dos Oito Baixos. Gravou ainda mais seis LPs e
um CD que reuniu 18 das setenta e poucas músicas gravadas por ele ao longo da carreira.
Considerado por muitos como um mestre da sanfona de oito baixos. Percorreu o Brasil durante 20 anos tocando na caravana de Ivan Bulhões.
       Em 2001, fez suas últimas apresentações ao vivo em cidades nordestinas, durante as festas de São João.
Bau teve uma vida difícil e no final da vida teve que receber ajuda dos amigos para sobreviver falecendo de cirrose no
dia 5 de março de 2002.



Faixa 01 Forrozão (Bau dos 8 Baixos – Afonso Amâncio)


Faixa 02 Moça da ribeira (Canarinho – Baú dos 8 Baixos)


Faixa 03 Nenhum beija flor beija como eu beijei (Agenor Farias – Baú dos 8 Baixos)


Faixa 04 Festa nordestina (Agenor Farias)


Faixa 05 Piadinho de pinto (Baú dos 8 Baixos – Reginaldo Lins)


Faixa 06 Seu Catolé no xote (José Antonio – Agenor Farias)


Faixa 07 Senhor meu Mestre (Juarez Santiago)


Faixa 08 Minha barca (Genésio Guedes)


Faixa 09 Ciscadinho em 8 baixos (Anézio – Cícero Morais)


Faixa 10 De Recife a Maceió (Oswaldinho – Baú dos 8 Baixos)


Faixa 11 Forró na Pajeú (Baú dos 8 Baixos)


Faixa 12 Segure o trupé (Baú dos 8 Baixos – Cícero Morais)


Lp Baú do Oito baixos – O forró tá pegando fogo – 1978

 

Artista: Baú do Oito baixos
Gravadora: Itamaraty
Ano: 1978
Estilo: Forró 

     (Sebastiao Morais) que ficou conhecido popularmente como Bau dos 8 baixos nascido em 13 de junho do ano de 1939 em Caruaru estado de Pernambuco. Bau dos 8 baixos Começou a se interessar pela sanfona por volta de 1960, aos 18 anos de idade, ganhando uma
sanfona de oito baixos do pai como presente de casamento, nascia ali Bau dos 8 baixos iniciando assim a carreira tocando em bailes e festas e bailes do interior pernambucano. Em 1975, lançou o LP "Ai que saudade da mulesta",
seu primeiro disco cuja música título foi também interpretada por Abdias dos Oito Baixos. Gravou ainda mais seis LPs e
um CD que reuniu 18 das setenta e poucas músicas gravadas por ele ao longo da carreira.
Considerado por muitos como um mestre da sanfona de oito baixos. Percorreu o Brasil durante 20 anos tocando na caravana de Ivan Bulhões.
     Em 2001, fez suas últimas apresentações ao vivo em cidades nordestinas, durante as festas de São João.
Bau teve uma vida difícil e no final da vida teve que receber ajuda dos amigos para sobreviver falecendo de cirrose no
dia 5 de março de 2002.



Faixa 01 Festa boa é na palhoça (Juarez Santiago)


Faixa 02 O reizado (Ivan Bulhões)


Faixa 03 Forró arrepiado (Baú do Oito baixos – Canarinho)


Faixa 04 Forró do Liezio (Baú do Oito baixos – Ulisses Silva)


Faixa 05 Forró a terra do bituri (Adolfo da Modinha – Durval da Modinha)


Faixa 06 Ronco do sonolento (Rato da Hi Fi – Afonso Amancio)


Faixa 07 Sanfoninha choradeira (Onildo Almeida – Baú do Oito baixos)


Faixa 08 Forró do rasga fole (Cícero Morais – Baú do Oito baixos)


Faixa 09 Arrasta-pé chorona de 8 baixos (Rafael Lopes – Agenor do Acordeon)


Faixa 10 Seis de qua ra qua qua (Heleno Buchada – Ana Maria Domingos)


Faixa 11 Oito baixos miudinho (Genésio Guedes – Djalma da Hi Fi)


Faixa 12 Forró do Zé Dinho (Agenos Farias – Zé Tavares)


Frases #0318



 Quem puxa o tapete de alguém, mais cedo ou mais tarde também acaba caindo. 

Deckard

quarta-feira, 3 de agosto de 2022

Lp Walter Damasceno – Bossa ai é mato – 1959

 

Artista: Walter Damasceno
Gravadora: Odeon
Ano: 1959
Estilo: Forró 




Faixa 01 Coco com C (Buco do Pandeiro / O. Freitas)


Faixa 02 Fum fum (Zé Violão / Gumercindo Santos)


Faixa 03 Eu também sou irmão (J. Ferreira / Mário Luis)


Faixa 04 Tem jeito não (Mário Teresópolis)


Faixa 05 Tres e trezentos (Miguel Lima / Gerson Filho)


Faixa 06 Cabra froxo (J. Cavalcanti / J. Baptista / J. Silveira)


Faixa 07 Saudade do Ceará (João da Silva / Bucy Moreira / João Sales)


Faixa 08 Reminicência (Inhozinho / Tito Mendes)


Faixa 09 Pó de mico (J. Roselvite / J. Ferreira)


Faixa 10 Não se meta não (J. Ferreira / Arlindo Sampaio / Hélio Nascimento)


Faixa 11 Eu sou pernambucano (Manoel Moreira / Antônio da Silva)


Faixa 12 Burro manco (Bucy Moreira / João da Silva / Manoel Francisco)

terça-feira, 2 de agosto de 2022

Lp Altamiro Carrilho – Festas Juninas – 1964

 

Artistas: Altamiro Carrilho
Gravadora: SOM
Ano: 1964
Estilo: Forró




Faixa 01 - Música de BG (Antônio Manoel do Espírito Santo) Participação: Ari Leite
Faixa 02 - Festinha Caipira (Adalto Silva) 
Faixa 03 - Pula Sapo (Autor Desconhecido/Adpt. Altamiro Carrilho) 
Faixa 04 - Nair (Nelson Cavaquinho) 
Faixa 05 - Mate Amargo (Carlos F. Bravo/Francisco Brancatti) 
Faixa 06 - Martim Pescador (Francisco Pracanico/Emílio Magaldi) 
Faixa 07 - Gavião Calçudo (Pixinguinha/Cícero de Almeida) 


Faixa 08 
Pula a Fogueira (Getúlio Marinho “Amor”/João Bastos Filho) 
Cai Cai Balão (Assis Valente)
Noites de Junho (João de Barro/Alberto Ribeiro)
Santo Antônio, São Pedro e São João (Herivelto Martins/Alcebíades Barcelos “Bide”)
Faixa 09 - Caipirinha (Altamiro Carrilho/Mário Zan)
Faixa 10 - Saudades de Matão (Jorge Galati)
Faixa 11 - No Tempo do Onça (Denis Brean)
Faixa 12 - Viva o Comendador Biguá (Sol/Ré) 
Faixa 13 - Viva na Roça (Dalton Vogeler)